.

 BENEFÍCIOS

O método de biofeedback tem sido apontado como instrumento eficaz no tratamento de diversas patologias e sua utilização tem sido crescente nas últimas décadas:

· Dores crônicas (nas costas, pescoço, ombros e outras dores musculares)
· Dores de cabeça (enxaqueca: vascular, muscular)
· Problemas ginecológicos (infecções pélvicas)
· Hipertensão (baixar a pressão)
· Doenças relacionadas à ansiedade (fobias, ansiedade em geral, ataques de pânico)
· Problemas cardiovasculares (doença do Raynaud, angina de peito)
· Doenças gastrintestinais (colite, úlcera, diarréia, constipação, acidez no estômago)
· Artrite e fibrosite (músculo esquelético e dor/inflamação nas articulações)
· Distúrbios do sono (hipersônia, insônia)
· Distúrbios alimentares (bulimia, anorexia, obesidade)
· Bruxismo (ATM - Articulação Têmporo-mandibular)
. Défict de Atenção
. Controle de esfíncteres
. Incontinência urinária
. Fibromialgia
. Paralisias ( lesões medulares incompletas, AVC-
Acidente Vascular Cerebral, TCE - Traumatismo .Crâneo-encefálico, Paralisia-Cerebral)
· Controle do Estresse
. Bursite

O biofeedback tem sido apontado como um instrumento eficaz no tratamento de diversas patologias e sua utilização na reabilitação física tem sido crescente nas últimas décadas.

Além do tratamento de doenças, o biofeedback também pode auxiliar atletas a atingir seu nível máximo de performance e mantê-lo nos momentos mais convenientes.

Modalidades e Aplicações

As modalidades de biofeedback mais utilizadas são:

Eletrodêrmica (GSR)
Têrmica (TEMP)
Eletromiográfica (EMG)
Eletroencefalográfica ou neurofeedback (EEG)

GSR - Resposta galvânica da pele

O instrumento de feedback de reação eletrodêrmica mede a condutividade elétrica da pele dos dedos e da palma da mão e se faz por meio da passagem de uma microcorrente elétrica insensível pela superfície da pele, medindo-se a resistência a essa passagem. Quando as glândulas sudoríparas estão ativas a resistência da passagem da corrente diminui. Em caso contrário a resistência aumenta. A medida da resistência elétrica traduz a atividade ou inatividade das glândulas sudoríparas as quais, por sua vez, são um reflexo da atividade do sistema nervoso simpático. Assim, a análise do padrão de resposta elétrica da pele permite estabelecer a relação entre estado emocional e a atividade do sistema simpático, deste modo, encontrar a melhor condição para cada indivíduo em particular. Essa técnica tem sido usada no tratamento da sudorese excessiva, relaxamento, treinamento de dessensibilização e Estresse.

TEMP - Temofeedback

Um instrumento de feedback termal mensura o fluxo sangüíneo da pele e consiste em alterar a temperatura nos dedos das mãos ou dos pés, variação esta em íntima correlação com as condições de vasodilatação e vasoconstricção neste locais. A vaso dilatação é acompanhada de aumento de temperatura, ao contrário da vasoconstricção. Também pode-se avaliar as condições emocionais do sujeito, expressas pela ativação e desativação do sistema nervoso simpático e parassimpático. Desta forma, o controle vasomotor pode ser treinado e condicionado. O feedback de temperatura dos dados é uma ferramenta útil em treinamento de relaxamento e é também utilizado em tratamento de disturbios vasculares específicos, incluindo enxaqueca, doença de Raynaud , hipertensão essencial e complicações vasculares.

EMG - Eletromiografia

O feedback eletromiográfico mensura a atividade elétrica dos músculos esqueléticos, a qual expressa o grau de contração ou relaxamento dos mesmos. Desta maneira é possível treinar o indivíduo a utilizar a musculatura quando for indicado, ou , então, produzir um relaxamento físico. É usado para treinamento de relaxamento de musculatura específica e é a modalidade primária para o tratamento de cefaléia de tensão, bruxismo e problemas da articulação têmporo-mandidular, dor crônica, espasmo muscular, paralisia parcial, (traumatismos craniano, AVC, paralisia cerebral e lesado medular) e outras disfunções musculares.

EEG - Neurofeedback

O Neurofeedback ou feedback eletroencefalo gráfico consiste em medir as ondas elétricas do cérebro, tal como acontece no eletroencefalograma clássico. Pode-se então, treinar o indivíduo a aumentar ou diminuir a produção (amplitude e ou freqüência) de qualquer uma das faixas de ondas cerebrais, conforme o estado físico e subjetivo que se almeja alcançar. Técnicas de biofeedback de EEG são utilizadas no tratamento de epilepsia, distúrbio de déficit de atenção em crianças, adolescentes e adultos, alcoolismo, dependência química e outros distúrbios devidos a drogadicção, traumatismo craniano, desordem de sono e insônia, depressão e distúrbio do pânico.

Existe também a modalidade:

ECG - (feedback cardíaco) - onde se mede e se controla a freqüência e a pressão arterial e o feedback respiratório, onde se controla o tipo de respiração (torácica e diafragmática) e a freqüência respiratória.

Outras Modalidades:

Instrumentos especializados tem sido desenvolvidos para facilitar a auto regulação em uma variedade de distúrbios orgânicos relacionados ao estresse, tais como arritmias cardíacas, incontinência urinária, incluíndo enurese noturna problemas respiratórios e síndrome do colo irritável.

 

 

Envie esta página para seu Twitter

Siga-nos no Twitter

Nosso Trabalho no Centro de Desenvolvimento da
Inteligência e Biofeedback - CDIB
Twitter Updates
 
© desde 2002, Maria Tereza Carneiro Pita